Casa de Apoio

Assistência Social - 2017

Projeto de Adesão ao Tratamento

Iniciado em 1999 o Projeto de Adesão ao Tratamento hoje mantém parceria com o PAM Antônio Ribeiro Neto (PAM 13 de maio), Hospital da Lagoa e IASERJ. Buscando diminuir os índices de infecções oportunistas e internações hospitalares os pacientes são encaminhados pelos médicos e/ou serviço social das unidades parceiras. 
Dada a parceria com a Secretaria Municipal de Saúde da cidade do Rio de Janeiro a Viva Cazuza vem priorizando abrir novas vagas de atendimento para pacientes do PAM Antônio Ribeiro Neto. O projeto visa tentar compreender a dinâmica diária de cada paciente na tentativa de compreender o motivo da falha no tratamento e propor alternativas para melhorar a adesão. 

São feitos encaminhamentos para serviços jurídicos, dentários, psicológicos e etc. quando requisitados. Os atendimentos são feitos uma vez por mês realizado por assistente social e agente de saúde com doação de uma cesta básica para cada paciente.

No ano de 2017 um paciente foi a óbito e seis abandonaram o projeto. Ainda não foi possível aumentar o número de pacientes atendidos e a colocação no mercado de trabalho foi impossível.

Foram cadastrados no projeto no ano de 2017 um total de 177 pacientes com agendamento mensal de atendimento, orientações a adesão ao tratamento, sensibilização de familiares e comunidade. Encaminhamentos para orientação jurídica, quando necessário, odontológica e psicológica, doação de cestas básicas, roupas, produtos de higiene e tentativa de encaminhamento para profissionalização e inclusão no mercado de trabalho.

No ano de 2017 foram feitos 1726 (mil setecentos e vinte e seis) atendimentos e doadas 1726 cestas básicas.

 








08/08/2017, 06:35 h

Casa de Apoio - 2017

Casa de Apoio Pediátrico - abrigo de crianças e adolescentes carentes portadores do HIV/Aids em regime de internato.

Janeiro

·  Abrigo de 16 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.480 refeições servidas;

· 32 (trinta e duas) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 02 (duas) consultas médicas não específicas para HIV;

· 11 (onze) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Saída de 02 crianças para colocação em família substituta e 02 para reintegração familiar;

· Chegada de 02 crianças gêmeas, com 6 anos de idades, com informação suposta de que a mãe era HIV. As crianças viviam na rua com usuários de crack. Estamos providenciando exames anti-HIV e para detecção de outras doenças. Os meninos apresentam marcas no corpo de maus tratos, mas não temos informações de como e quando foram feitas as marcas, eles não gostam de falar no assunto;


Fevereiro

·  Abrigo de 16 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.480 refeições servidas;

· 32 (trinta e duas) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 02 (duas) consultas médicas não específicas para HIV;

· 11 (onze) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Saída de 02 crianças para colocação em família substituta e 02 para reintegração familiar;

· Chegada de 02 crianças:

1. Criança com 9 meses proveniente do Hospital Universitário Pedro Ernesto com histórico de exposição neonatal ao HIV (primeira carga viral negativa em maio de 2016), sífilis congênita, não temos informação relativa pré natal e ao parto.

2.  Criança com 20 dias de nascida proveniente do Hospital dos Servidores do Estado – mãe HIV positiva, foi feita 6 consultas de pré natal, criança nasceu de cesárea, não foi amamentada e saiu do hospital fazendo uso de AZT oral.


Março

·  Abrigo de 16 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.480 refeições servidas;

· 45 (quarenta e cinco) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 01 (uma) consulta médica não específica para HIV;

· 03 (três) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 05 (cinco) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Saída de 02 crianças para com exame negativo para o HIV para outra instituição;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Chegada de 02 crianças, irmãs, que retornaram à instituição que estavam em processo de adoção:

1. Criança de dois anos com exposição neonatal ao HIV, 4 consultas pré natal, uso de AZT injetável duas horas antes do parto.

2. Criança com 10 meses – mãe HIV positiva, foi feita menos de 6 consultas de pré natal, criança nasceu de cesárea, não foi amamentada e saiu do hospital fazendo uso de AZT oral. Em período de acompanhamento com carga viral indetectável.


Abril

·  Abrigo de 19 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.850 refeições servidas;

· 22 (vinte e duas) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 20 (vinte) consultas médicas não específica para HIV;

· 04 (quatro) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 06 (seis) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Saída de 01 criança para com exame negativo para o HIV reintegrado com a mãe, HIV positiva;

· Chegada de 04, sendo que três delas são irmãs em situação de rua, mãe HIV positiva, as crianças nunca foram testadas,

1. Criança de dois anos - menino.

2. Criança 8 anos – menino

3. Criança de 9 anos – menina

4. Criança de 8 anos – menino. Mãe usuária de drogas, que em seu local de moradia é ponto de preparo e venda de drogas, que muitas vezes a mãe sai e o menino já ficou na rua por um tempo, segundo informação do Conselho Tutelar.


Maio

· Abrigo de 19 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.850 refeições servidas;

· 51 (cinquenta e uma) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 07 (sete) consultas médicas não específica para HIV;

· 08 (oito) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 04 (quatro) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 02 duas) consultas odontológicas;

· Saída de 02 criança para com exame negativo para o HIV. Uma reintegração familiar e 01 adoção;

· Chegada de 02 crianças:

1. 01 bebê recém nascido, menina – com 23 dias proveniente da Maternidade Carmela Dutra, mãe HIV positiva, criança nasceu em via pública, sem informações relativas ao pré natal, mas fez uso de AZT e Nevirapina na unidade de saúde;

2. Criança de 2 anos – a criança foi abandonada pela mãe, morou com família acolhedora. A Viva Cazuza atendeu pedido da Vara da Infância e Juventude para acolhimento, uma vez que a crianças era muito assustada, chorosa, e tem muito medo de pessoas do sexo masculino. Será investigada quando ao HIV, abuso e outras doenças. 

Junho

·  Abrigo de 19 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.850 refeições servidas;

· 32 (trinta e dois) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 09 (nove) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 08 (oito) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Reforço escolar na instituição realizada por pedagoga contratada;

Atividades recreativas e de lazer nos finais de semana dentro e fora da instituição. (passeios, praias, cinema, teatro etc.)


Julho

·  Abrigo de 20 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 3.100 refeições servidas;

· 41 (quarenta e uma) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 02 (duas) consultas médicas de especialidades diversas;

· 03 (três) dias de internação domiciliar de 04 (quatro) crianças;

· 07 (sete) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 04 (quatro) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Reforço escolar na instituição realizada por pedagoga contratada;

· Atividades recreativas e de lazer nos finais de semana dentro e fora da instituição. (passeio, praia, cinema, teatro etc.)

· 04 crianças saíram da instituição por adoção;

· 05 crianças chegaram à instituição

1.       Acolhimento de 01 menino de 05 anos em situação de rua. (O Conselho Tutelar suspeita que a mãe da criança seja HIV positivo. Vamos providenciar o exame da criança)

2.       Acolhimento de três irmãs: 01 menina de 06 anos; 01 menina de 04 anos e 01 menina de 1 ano (denuncia de abuso sexual)

3.       Acolhimento de uma menina de 01 ano (mãe HIV positiva – de acordo com relatório social anexo.  Ela informa que fez pré-natal e fez tratamento no Hospital Rafael de Paula, mas ainda não conseguimos confirmar. Encaminhamos a criança para novo exame anti-HIV).

Agosto

·  Abrigo de 20 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 3.100 refeições servidas;

· 30 (trinta) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 03 (três) consultas médicas de especialidades diversas;

· 10 (dez) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 10 (dez) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 01 (uma) consulta odontológica, através de atendimento voluntário no consultório do profissional;

· 06 (seis) dias de internação domiciliar de 01 criança;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Reforço escolar na instituição realizada por pedagoga contratada;

·  Atividades recreativas e de lazer nos finais de semana dentro e fora da instituição. (passeio, praia, cinema, teatro etc.)

· 03 crianças saíram da instituição por adoção;

· 03 crianças chegaram à instituição

1.       Acolhimento de 01 menina nascida em 25/07/2017 filha de mãe HIV positiva (documentos da unidade de saúde anexo);

2.       Acolhimento de 01 menina nascida em 23/07/2017 filha de mãe HIV positiva (documentos da unidade de saúde Maria Amélia anexo)

3.       Acolhimento de 01 menina nascida em 16/08/2017 filha de mãe HIV negativa, mas que não fez pré-natal (documentos da unidade de saúde Maria Amélia anexo).

Setembro

·  Abrigo de 20 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 3.000 refeições servidas;

·  24 (vinte e quatro) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 01 (uma) consultas médicas de especialidades diversas;

· 10 (dez) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 04 (quatro) consulta odontológica, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

 

Outubro

·  Abrigo de 19 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 3.000 refeições servidas;

· 15 (quinze) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 01 (uma) consultas médicas de especialidades diversas;

· 18 (dezoito) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 08 (oito) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Reforço escolar na instituição realizada por pedagoga contratada;

· Atividades recreativas e de lazer nos finais de semana dentro e fora da instituição. (passeio, praia, cinema, teatro etc.)


Novembro

·  Abrigo de 29 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 3.000 refeições servidas;

· 15 (quinze) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 01 (uma) consultas médicas de especialidades diversas;

· 18 (dezoito) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 08 (oito) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Reforço escolar na instituição realizada por pedagoga contratada;

· Atividades recreativas e de lazer nos finais de semana dentro e fora da instituição. (passeio, praia, cinema, teatro etc.)


Dezembro

·  Abrigo de 18 crianças;

· Fornecimento de 05 refeições diárias totalizando no mês o montante de 2.7900 refeições servidas;

· 22 (vinte e duas) consultas médicas específicas para o HIV dentro da instituição;

· 01 (uma) consultas médicas de especialidades diversas;

· 12 (doze) consultas com psicoterapeutas, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· 05 (cinco) consultas com fonoaudiólogo, através de atendimento voluntário no consultório dos profissionais;

· Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino e praticam atividades esportivas em clubes e/ou academias parceiras, assim como música dança e desenho;

· Reforço escolar na instituição realizada por pedagoga contratada;

· Atividades recreativas e de lazer nos finais de semana dentro e fora da instituição. (passeio, praia, cinema, teatro etc.)



11/08/2017, 03:50 h

Assistência Social - 2018

Projeto de Adesão ao Tratamento

Iniciado em 1999 o Projeto de Adesão ao Tratamento hoje mantém parceria com o PAM Antônio Ribeiro Neto (PAM 13 de maio), Hospital da Lagoa e IASERJ. Buscando diminuir os índices de infecções oportunistas e internações hospitalares os pacientes são encaminhados pelos médicos e/ou serviço social das unidades parceiras. 
Dada a parceria com a Secretaria Municipal de Saúde da cidade do Rio de Janeiro a Viva Cazuza vem priorizando abrir novas vagas de atendimento para pacientes do PAM Antônio Ribeiro Neto. O projeto visa tentar compreender a dinâmica diária de cada paciente na tentativa de compreender o motivo da falha no tratamento e propor alternativas para melhorar a adesão. 

São feitos encaminhamentos para serviços jurídicos, dentários, psicológicos e etc. quando requisitados. Os atendimentos são feitos uma vez por mês realizado por assistente social e agente de saúde com doação de uma cesta básica para cada paciente.

 


JANEIRO

·         134 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 134 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.



FEVEREIRO

·         134 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 134 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.



MARÇO

·         142 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 142 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.




ABRIL

·         142 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 142 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.



MAIO

·         135 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 135 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.



JUNHO

·         138 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 138 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.


JULHO

·         141 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 141 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.


AGOSTO

·         146 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 146 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.


SETEMBRO

·         144 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 144 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.



OUTUBRO

·         140 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 140 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.


NOVEMBRO

·         135 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 135 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.


DEZEMBRO

·         127 atendimentos sociais individuais;

·         doação de 127 cestas de básicas;

·         repasse de doação de roupas, sapatos e brinquedos.








26/10/2018, 09:56 h