Casa de Apoio

Casa de Apoio - 2006

PRINCIPAIS CONQUISTAS

Reintegração familiar 

No ano de 2006 demos prosseguimento ao fortalecimento dos vínculos familiares e reintegramos duas crianças; Daniele com 16 anos e Juliana com 13 anos que passaram a morar com o pai no final de 2006. As meninas foram matriculadas em escola da rede pública do Município de Nova Iguaçu, Daniele terminou a oitava série do primeiro grau e irá se matricular num curso profissionalizante de cabeleireiro. Juliana terminou a 6.ª série e as duas foram encaminhadas para acompanhamento médico na rede pública. Foram colocadas no Projeto de Apoio visando adesão ao tratamento da Sociedade Viva Cazuza, vindo a instituição uma vez por mês quando fazermos acompanhamento de saúde, educacional e a doação de uma cesta básica por mês.



Educação

Dando continuidade ao convênio com a escola particular Luiza Abranches situada na Rua Paissandú 384, Laranjeiras, que ofereceu bolsa de estudo de 75% do valor da mensalidade, no ano de 2006 tivemos 15 crianças que cursaram a 3.ª, 4ª, 5ª, 6ª, 7ª e 8.ª série do primeiro grau, melhorando a qualidade do ensino oferecido. Foi dado continuidade as aulas de inglês, na instituição, para todas as crianças a partir da quinta série. A continuidade do trabalho desenvolvido por pedagoga com objetivo de acompanhar os trabalhos escolares melhorou o aproveitamento das crianças que estão matriculadas na escola particular diminuindo o índice de recuperações. Quatro crianças fizeram curso básico de computação na FAETEC. E desenvolvemos uma oficina de reciclagem utilizando jornal e pet.



Saúde

As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento. Mais um adolescente iniciou tratamento com o medicamento FUSEON, por não estar respondendo mais aos antigos esquemas anti-retrovirais.



Atividades Desenvolvidas

1. A Casa de Apoio iniciou o ano de 2006 com 20 crianças abrigadas e fechamos o ano com 18 crianças em regime de internato.
2. Até dezembro de 2006 realizou 430 (Quatrocentos e trinta) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 50 (cinqüenta) consultas médicas diversas.
3. Realizou 40 consultas odontológicas.
4. 200 consultas psicoterápicas.
5. 100 consultas fonoaudiológicas.
6. Fornecimento de 36.000 mil refeições.
7. Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
8. Todos estão tendo aula de capoeira as sextas feiras.
9. 11 crianças estão tendo aula de ballet dentro da instituição perfazendo um total 48 aulas por ano, tendo se apresentado em público no em evento na Secretaria Estadual de Saúde.
10. 08 crianças fizeram aula particular de inglês, na instituição, perfazendo um total de 96 aulas por ano.
11. As crianças menores freqüentam escola da Rede Pública Municipal. 
12. 04 crianças fizeram curso básico de informática na FAETEC com duas aulas semanais num período de seis meses;
13. Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 03 supervisores; 01 pedagogo; 01 assistente social; 05 auxiliares de enfermagem, 05 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças.
14. A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários composta por 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 médico neurologista, 01 médico otorrino, 01 médico dermatologista, 01 médico oftalmologista, 04 dentistas, 12 psicoterapêutas, 05 fono-audiólogos, 03 psico-pedagogos, 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista; 01 pedagogo. 
15. A faixa etária das crianças abrigadas está compreendida entre 2 e 16 anos. Com a pouca rotatividade de crianças optamos pela construção de uma consciência de estrutura familiar entre as crianças e/ou cuidadores, dando-lhes a noção de que a casa e/ou família é constituída na instituição. 
16. Nos finais de semana realizamos integração social através de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. 
17. Atividades culturais dentro e fora da instituição.
18. Palestras nas escolas da rede pública municipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social. 
19. Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus do HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem. 

Este Projeto conta com a colaboração de:

Laboratório Bronstein
Ótica Lunetterie
MAC Cosméticos

29/07/2015, 19:18 h

Casa de Apoio - 2007

Principais Conquistas

Adoção: Após muitos anos de trabalho tivemos duas crianças que foram adotadas. Se por um lado esse fato deve ser festejado, uma vez que é sinal de diminuição do preconceito e a abertura de uma nova perspectiva de vida para as crianças sem vínculo familiar. Por outro lado o desenrolar do processo nos deixa apreensivos, uma vez que percebemos no órgão público responsável maior preocupação com o fato em si do que como é feito o processo. Final do ano período de fazer balanço das atividades, conquistas e dos números. A falta de tempo para o conhecimento mútuo da família e criança assim como a falta de acompanhamento pós adoção é um fator preocupante. De qualquer forma M.E. e R. foram adotados. Entregues aos novos pais com saúde e uma grande esperança.



Reintegração familiar 

2007 mais uma reintegração familiar. João com 16 anos, depois de completar a 8.ª série do primeiro grau, passou a morar com o irmão. João continua freqüentando a Sociedade Viva Cazuza através de nosso projeto de Adesão ao Tratamento e recebe uma cesta básica por mês. João está matriculado num curso de computação além de estar dando prosseguimento aos estudos na primeira série do segundo grau, com claras evidências de dificuldade de adaptação. 



Novas crianças

Recebemos 4 novas crianças e o encontro de dois irmãos que estavam separados foi extremamente gratificante.



Educação

O convênio com a escola particular Luiza Abranches situada na Rua Paissandu 384, Laranjeiras, que oferece bolsa de estudo de 75% do valor da mensalidade, foi mantido no ano de 2007 com 14 crianças que cursaram a 2.º, 3.º, 4.º, 5.º, 7.º e 8.º ano do Ensino Fundamental, melhorando a qualidade do ensino oferecido. Temos ainda 3 crianças matriculadas na Escola Municipal Anne Frank cursando a Educação Infantil. Foi dado continuidade as aulas de inglês, na instituição, para todas as crianças a partir do 5.º ano. A continuidade do trabalho desenvolvido por pedagoga com objetivo de acompanhar os trabalhos escolares melhorou o aproveitamento das crianças que estão matriculadas na escola particular diminuindo o índice de recuperações.



Saúde

As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento.



Atividades desenvolvidas:

1. A Casa de Apoio iniciou o ano de 2007 com 18 crianças abrigadas e fechamos o ano com 19 crianças em regime de internato.
2. Até dezembro de 2007 realizou 400 (Quatrocentas) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 48 (quarenta e oito) consultas médicas diversas.
3. Realizou 38 consultas odontológicas.
4. 130 consultas psicoterápicas.
5. 100 consultas fonoaudiológicas.
6. Fornecimento de 34.675 mil refeições.
7. Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
8. Todos estão tendo aula de capoeira as sextas feiras.
9. 08 crianças fizeram aula particular de inglês, na instituição, perfazendo um total de 96 aulas por ano.
10. As crianças menores freqüentam escola da Rede Pública Municipal. 
11. 01 criança fez Oficina de Desenho do Daniel Azulay com bolsa de estudos;
12. Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 02 assistentes de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 05 auxiliares de enfermagem, 05 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças. 
13. A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários composta por 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 médico neurologista, 01 médico otorrino, 01 médico dermatologista, 01 médico oftalmologista, 04 dentistas, 10 psicoterapêutas, 05 fono-audiólogos, 03 psico-pedagogos, 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista; 
14. A faixa etária das crianças abrigadas está compreendida entre 2 e 16 anos. Com a pouca rotatividade de crianças optamos pela construção de uma consciência de estrutura familiar entre as crianças e/ou cuidadores, dando-lhes a noção de que a casa e/ou família é constituída na instituição. 
15. Como a maioria dos menores na Casa de Apoio são pré adolescentes e adolescentes estamos optando por atividades nos finais de semana junto com os amigos de escola, além de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. 
16. Atividades culturais dentro e fora da instituição.
17. Palestras nas escolas da rede pública municipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social. 
18. Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus do HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem. 
19. Todo atendimento feito na Casa de Apoio Pediátrico é totalmente GRATUITO.

Este Projeto conta com a colaboração de:

Laboratório Bronstein
A Prata da Casa
Ótica Lunetterie
Água Mineral Serra dos Orgãos

29/07/2015, 19:23 h

Casa de Apoio - 2008

Principais Conquistas

Reintegração Familiar - Depois de um longo trabalho com objetivo de reintegração familiar de dois adolescentes, eles nos surpreenderam informando que haviam decidico que preferiam ficar na instituição e fizeram a solicitação diretamente ao Juizado de Menores. Um terminou o primeiro grau e o outro ingressou na FAETEC onde está fazendo o segundo grau e curso técnico. No ano de 2008 tivemos 20 crianças e/ou adolescentes abrigados.



Saúde

As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento.



Educação

O convênio com a escola particular Luiza Abranches situado na Rua Paissandu 384, Laranjeiras, que oferece bolsa de estudos de 75% do valor da mensalidade, foi mantido no ano de 2008 e 13 crianças que cursaram a 2.º, 3.º, 4.º, 5.º, 7.º e 9.º ano do Ensino Fundamental, melhorando a qualidade de ensino oferecido. Temos ainda 3 crianças matriculadas na Escola Municipal Anne Frank cursando a Educação Infantil. Foi dado continuidade as aulas de inglês, na instituição, para todas as crianças a partir do 5.º ano. A continuidade do trabalho desenvolvido por pedagoga com objetivo de acompanhar os trabalhos escolares melhorou o aproveitamento das crianças que estão matriculadas na escola particular diminuindo o índice de recuperações.



Integração Social

Um de nossos adolescentes foi convidado para uma colônia de férias, para crianças e adolescentes HIV positivos, na Pensilvânia, EUA, onde passou 10 dias.



Atividades Desenvolvidas

1. A Casa de Apoio iniciou o ano de 2008 com 19 crianças abrigadas e fechamos o ano com 20 crianças em regime de internato.
2. Até dezembro de 2008 realizou 458 (Quatrocentas e cinquenta e oito) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 26 (vinte e seis) consultas médicas diversas.
3. Realizou 42 consultas odontológicas.
4. 130 consultas psicoterápicas.
5. 162 consultas fonoaudiológicas.
6. Fornecimento de 36.500 mil refeições.
7. Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
8. Todos estão tendo aula de capoeira as sextas feiras.
9. 08 crianças fizeram aula particular de inglês, na instituição, perfazendo um total de 96 aulas por ano.
10. As crianças menores freqüentam escola da Rede Pública Municipal. 
11. 01 criança fez Oficina de Desenho do Daniel Azulay com bolsa de estudos;
12. Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 
01 gerente e coordenador de projetos; 02 assistentes de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 05 auxiliares de enfermagem, 05 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças. 

Este Projeto conta com a colaboração de:

Laboratório Bronstein
A Prata da Casa
Ótica Lunetterie
Ana Correia e Adjaime Henrique de Paiva


29/07/2015, 19:25 h

Casa de Apoio - 2009

Principais conquistas:

1.Reintegração familiar - Depois de trabalho com objetivo de reintegração familiar de dois irmãos eles foram reintegrados à sua família no final do ano letivo e passaram a morar em Minas Gerais.
2.Saúde – As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento. 
3.Educação – 03 adolescentes estão fazendo curso técnico na FAETEC, um no segundo ano do primeiro grau e dois no primeiro ano do segundo grau. O convênio com a escola particular Luiza Abranches situada na Rua Paissandu 384, Laranjeiras, que oferece bolsa de estudo de 75% do valor da mensalidade, foi mantido no ano de 2009 com 13 crianças que cursaram a 3.º, 4.º, 5.º, 7.º, 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental, melhorando a qualidade do ensino oferecido. Temos ainda 4 crianças matriculadas na Escola Municipal Anne Frank cursando a Educação Infantil. Foi dado continuidade as aulas de inglês, na instituição, para todas as crianças a partir do 5.º ano. A continuidade do trabalho desenvolvido por pedagoga com objetivo de acompanhar os trabalhos escolares melhorou o aproveitamento das crianças que estão matriculadas na escola particular diminuindo o índice de recuperações. 
4.Integração Social – Dois de nossos adolescentes foram convidados para uma colônia de férias, para crianças e adolescentes HIV positivos de diversos países, na Pensilvânia, EUA, onde permaneceram por 10 dias e duas adolescentes participaram de encontro de adolescentes portadoras do HIV em Paraty.


Atividades desenvolvidas:

1.A Casa de Apoio iniciou o ano de 2009 com 19 crianças abrigadas, recebemos mais duas e duas foram reintegradas.
2.Até dezembro de 2009 realizou 423 (Quatrocentas e vinte e três) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 43 (quarenta e três) consultas médicas diversas.
3.Realizou 51 (cinquenta e uma) consultas odontológicas.
4.125 (cento e vinte e cinco) consultas psicoterápicas.
5.146 (cento e quarenta e seis) consultas fonoaudiológicas.
6.Fornecimento de 38.325 mil refeições.
7.Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
8.Todos estão tendo aula de capoeira as sextas feiras.
9.08 crianças fizeram aula particular de inglês, na instituição, perfazendo um total de 96 aulas por ano.
10.As crianças menores freqüentam escola da Rede Pública Municipal. 
11.03 adolescentes fazem academia no bairro com bolsa de estudos;
12. 01 adolescente ganhou bolsa de estudos para fazer curso de escova na Werner Cabeleireiros.
13. Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 01 supervisor; 01 assistente de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 05 auxiliares de enfermagem, 03 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças. 
14. A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários composta por 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 médico neurologista, 01 médico otorrino, 01 médico dermatologista, 01 médico oftalmologista, 03 dentistas, 10 psicoterapêutas, 05 fono-audiólogos, 02 psico-pedagogos, 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista; 
15. A faixa etária das crianças abrigadas está compreendida entre 4 e 17 anos. Com a pouca rotatividade de crianças optamos pela construção de uma consciência de estrutura familiar entre as crianças e/ou cuidadores, dando-lhes a noção de que a casa e/ou família é constituída na instituição. 
16. Como a maioria dos menores na Casa de Apoio são pré adolescentes e adolescentes estamos optando por atividades nos finais de semana junto com os amigos de escola, além de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. 
17. Atividades culturais dentro e fora da instituição.
18. Palestras nas escolas da rede pública municipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social. 
19. Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus do HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem. 
Todo atendimento feito na Casa de Apoio Pediátrico é totalmenteGRATUITO.

Este Projeto conta com a colaboração de:

Laboratório Bronstein
A Prata da Casa
Ótica Lunetterie
Ana Correia e Adjaime Henrique de Paiva

29/07/2015, 19:26 h

Casa de Apoio - 2010

Principais Conquistas

Reintegração familiar - Dois adolescentes completaram em 2010 maioridade e optaram por deixar a instituição. 
Adoção – Uma de nossas crianças, com cinco anos de idade, iniciou processo de família substituta (adoção) já tendo se desligado da casa depois do período de adaptação bastante satisfatória.
Saúde – As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento. No mês de dezembro de 2010 uma de nossas adolescentes foi a óbito. Por mais que todos soubessem que isso um dia poderia acontecer nunca se está preparado. Uma das crianças que recebemos chegou extremamente debilitada de saúde, com TB, desnutrição, mais um desafio.
Educação – 02 dos adolescentes que se desligaram da instituição por maioridade eram alunos da FAETEC, permanecendo um adolescente da Casa de Apoio no curso de Audio e Video na FAETEC. Duas adolescentes terminaram o ensino fundamental. Os demais estudam na escola particular Luiza Abranches situada na Rua Paissandu 384, Laranjeiras, que oferece bolsa de estudo de 75% do valor da mensalidade e outros em escola da Rede Municipal. A Viva Cazuza deu prosseguimento ao reforço escolar na instituição feito por pedagoga melhorando consideravelmente o aproveitamento escolar. 
Integração Social – Os adolescentes participaram do Vivendo – Encontro Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids, aqui no Rio de Janeiro visando dar-lhes condições a trabalhar futuramente na luta pelos direitos dos portadores do HIV/Aids.

Atividades desenvolvidas:

A Casa de Apoio iniciou o ano de 2010 com 19 crianças abrigadas, recebemos mais três; duas foram reintegradas e uma foi a óbito.
Até dezembro de 2010 realizou 420 (Quatrocentas e vinte) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 45 (quarenta e cinco) consultas médicas diversas.
Realizou 52 (cinquenta e uma) consultas odontológicas.
120 (cento e vinte) consultas psicoterápicas.
140 (cento e quarenta) consultas fonoaudiológicas.
Fornecimento de 38.325 mil refeições.
Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
Todos estão tendo aula de capoeira as sextas feiras.
As crianças freqüentam escola da Rede Pública Municipal e escola particular através de parceria com fornecimento de bolsa de estudos.
02 adolescentes frequentam academia de ginástica no bairro com bolsa de estudos;
01 adolescente ganhou bolsa de estudos para fazer curso de escova no Werner Cabeleireiros.
Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 01 supervisor; 01 assistente de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 05 auxiliares de enfermagem, 03 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças.
A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários composta por 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 médico neurologista, 01 médico otorrino, 01 médico dermatologista, 01 médico oftalmologista, 02 dentistas, 10 psicoterapêutas, 05 fono-audiólogos, 02 psico-pedagogos, 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista;
A faixa etária das crianças abrigadas está compreendida entre 3 meses e 17 anos. Com a pouca rotatividade de crianças optamos pela construção de uma consciência de estrutura familiar entre as crianças e/ou cuidadores, dando-lhes a noção de que a casa e/ou família é constituída na instituição.
Como a maioria dos menores na Casa de Apoio são pré adolescentes e adolescentes estamos optando por atividades nos finais de semana junto com os amigos de escola, além de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. Alguns já tem namorado(a).
Atividades culturais dentro e fora da instituição.
Palestras nas escolas da rede pública municipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social.
Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus do HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem.
Todo atendimento feito na Casa de Apoio Pediátrico é totalmente GRATUITO.

Este Projeto conta com a colaboração de:

Laboratório Bronstein

A Prata da Casa

Ótica Lunetterie

Ana Correia e Adjaime Henrique de Paiva


Coordenação: Christina Moreira da Costa

29/07/2015, 19:27 h

Casa de Apoio - 2011

Um novo perfil

A transmissão do HIV mãe-filho que estava controlada começou a apresentar novo perfil, ainda que não apareça nos Boletins Epidemiológicos. Os efeitos do crack começaram a aparecer também nas crianças filhas de mães usuárias de drogas que não fizeram pré-natal e contaminaram seus bebês com o HIV. No ano de 2011 recebemos 5 bebês filhos do crack.



Principais conquistas

Novas crianças – em 2011 a Viva Cazuza recebeu 11 crianças, das quais 5 bebês filhas de mães usuárias de crack;
Reintegração familiar - Um adolescente completou a maioridade em 2011 e optou por deixar a instituição; tivemos também cinco reintegrações familiares;
Adoção – 4 crianças foram adotadas, todas bebês;
Saúde – As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento.
Educação – 01 está cursando o último ano do segundo grau profissionalizante na FAETEC, 02 iniciaram o segundo grau em escola da rede pública estadual e fizeram curso profissionalizante na ONG Espetáculo; 04 adolescentes terminaram o ensino fundamental; sendo que 03 fizeram curso paralelo de informática. Todos os demais em idade escolar estão matriculados na rede pública de ensino ou estudam em escola particular com bolsa de estudos.
Educação – A Viva Cazuza deu prosseguimento ao reforço escolar na instituição feito por pedagoga melhorando consideravelmente o aproveitamento escolar.
Integração Social – Os adolescentes participaram do Vivendo – Encontro Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids, aqui no Rio de Janeiro visando dar-lhes condições a trabalhar futuramente na luta pelos direitos dos portadores do HIV/Aids.
Atividades de Lazer – a instituição proporciona ainda atividades culturais e de lazer fora da instituição de acordo com a faixa etária. Teatros, shows, cinema, praia, festas, passeios, pique nique e etc. aos finais de semana e feriados.



Atividades desenvolvidas

Até dezembro de 2011 realizou 473 (Quatrocentas e setenta e três) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 40 (quarenta) consultas médicas diversas.
Realizou 57 (cinquenta e sete) consultas odontológicas.
150 (cento e cinquenta) consultas psicoterápicas.
145 (cento e quarenta e cinco) consultas fonoaudiológicas.
Fornecimento de 47.450 mil refeições.
Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
As crianças frequentam escola da Rede Pública Municipal e escola particular através de parceria com fornecimento de bolsa de estudos.
03 adolescentes frequentam academia de ginástica no bairro com bolsa de estudos;
01 adolescente ganhou bolsa de estudos para fazer curso de informática da SOS;
03 adolescentes fizeram curso básico de informática da Faetec unidade Dona Marta;
01 adolescente fez curso de cabeleireiro na Faetec unidade Dona Marta;
Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 01 supervisor; 01 assistente de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 06 auxiliares de enfermagem, 04 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças;
A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários composta por 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 médico neurologista, 01 médico otorrino, 01 médico dermatologista, 01 médico oftalmologista, 02 dentistas, 10 psicoterapêutas, 05 fono-audiólogos, 02 psico-pedagogos, 02 educadores voltados para área pedagógica, 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista;
Como a maioria dos menores na Casa de Apoio são pré adolescentes e adolescentes estamos optando por atividades nos finais de semana junto com os amigos de escola, além de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. Alguns já tem namorado(a).
Atividades culturais dentro e fora da instituição.
Palestras nas escolas da rede pública municipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social.
Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus do HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem.

Todo atendimento feito na Casa de Apoio Pediátrico é totalmente GRATUITO.



Apoios

Laboratório Bronstein
A Prata da Casa
Ópticas Paciello
Água Mineral Serra dos Órgãos
Copyhouse Gráfica Rápida

Coordenação: Christina Moreira da Costa


29/07/2015, 19:28 h

Casa de Apoio - 2012

Principais conquistas

Novas crianças - em 2012 a Viva Cazuza recebeu 09 crianças, das quais 6 bebês filhas de usuárias de crack;
Reintegração familiar - dois adolescentes que completaram a maioridade em 2012 optaram por deixar a instituição; tivemos também 02 reintegrações familiares;
Adoção - 05 crianças foram adotadas, sendo que um adolescente;
Saúde - as crianças fazem acompanhamento médico uma vez por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento;
Educação - 01 terminou o segundo grau profissionalizante na FAETEC, 01 está fazendo o segundo grau profissionalizante no SENAC; 01 fez curso de turismo no Instituto Aprender para Viver e estuda na Escola Municipal Artur da Costa e Silva. Os demais em idade escolar estão matriculados na rede pública de ensino ou estudam em escola particular com bolsa de estudos. A Viva Cazuza deu prosseguimento ao reforço escolar na instituição feito por pedagoga melhorando consideravelmente o aproveitamento escolar e contamos também com uma voluntária na área possibilitando um atendimento personalizado;
Integração social - os adolescentes participam do Vivendo - Encontro Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids, aqui no Rio de Janeiro visando dar-lhes condições de trabalhar futuramente na luta pelos direitos dos portadores do HIV/Aids.;
Atividades de lazer - a instituição proporciona ainda atividades culturais e de lazer fora da instituição de acordo com a faixa etária. Teatros, shows, cinema, praia, festas, passeios, pique nique e etc. aos finais de semana e feriados.



Atividades desenvolvidas

Até dezembro de 2012 realizou 458 (quatrocentos e cinquenta e oito) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 38 (trinta e oito) consultas médicas diversas;
Realizou 34 (trinta e quatro) consultas odontológicas;
250 (duzenta e cinquenta) consultas psicoterápicas;
215 (duzenta e dezoito) consultas com fonoaudiólogos;
Fornecimento de 36.500 mil refeições;
As crianças frequentam escola da Rede Pública Municipal e escola particular através de bolsa de estudos;
02 adolescentes frequenta academia de ginástica no bairro;
01 faz curso de desenho na escola do Daniel Azulay;
01 está fazendo curso profissionalizante d eTurismo no SENAC;
01 adolescente fez curso de turismo no Instituto Aprender para Viver;
Equipe contratata ela Viva Cazuz aformada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 01 supervisor, 01 assistente de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 06 técnicos de enfermagem; 04 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiros; 03 serventes de limpeza; 01 servente de lavanderia; 02 seguranças;
A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários compasta por 01 médico especialista em Aids, 01 psiquiatra, 01 neurologista, 01 otorrino, 01 dermatologista, 01 oftalmologista, 02 dentistas, 10 psicoterapêutas, 05 fonoaudiólogos, 02 psico-peagogo, 02 educadores voltados para a área pedagógica, 02 fisioterapeutas e 01 nutricionista;
Como a maioria dos menores da Casa de Apoio são pré adolescentes e adolescentes estamos optando por atividades de finais de semana junto com os amigos da escola, além de passeios em parques, prais, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. Alguns já tem namorado(a);
Atividades culturais dentro e fora da instituição;
Palestras nas escolas da rede pública muncipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social;
Acompanhamento social dos familaires das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanencia nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitam.
Todo atendimento é gratuito

Apoio:

Laboratório Bronstein
A Prata da Casa
Ópticas Paciello
Água Mineral Serra dos Órgãos
Copyhouse Gráfica Rápida

Coordenação: Christina Moreira da Costa

29/07/2015, 19:29 h

Casa de Apoio - 2013

Principais Conquistas

Novas crianças – em 2013 a Viva Cazuza recebeu 06 crianças, na maioria bebê;
Reintegração familiar – uma adolescente foi reintegrada à família;
Adoção – uma criança foi adotada;
Saúde – as crianças fazem acompanhamento médico duas vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento;
Educação – 01 completou o ensino médio e está trabalhando em horário integral, 01 terminou o segundo ano do 2º grau, 01 terminou o ensino básico. Um faz curso de auxiliar de cozinha no SENAC, outra faz curso de patchwork. Os demais em idade escolar estão matriculados na rede pública de ensino. Ainda fazem aula de desenho, frequentam academia e praticam esportes. Demos prosseguimento ao reforço escolar na instituição feito por pedagoga melhorando consideravelmente o aproveitamento escolar. Contamos ainda com uma voluntária na área possibilitando um atendimento personalizado;
Integração social – os adolescentes participam do Vivendo – Encontro Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids, aqui no Rio de Janeiro, visando dar-lhes condições de trabalhar futuramente na luta pelos direitos dos portadores do HIV/Aids;
Atividades de lazer – a instituição proporciona ainda atividades culturais e de lazer fora da instituição de acordo com a faixa etária. Teatros, shows, cinema, praia, festas, passeios, pique nique e etc. nos finais de semana e feriados.



Atividades desenvolvidas:

• Até dezembro de 2013 realizou 415 (quatrocentas e quinze) consultas médicas exclusivamente destinadas ao controle do HIV;
• 45 (quarenta e cinco) consultas médicas diversas;
• Realizou 35 (trinta e cinco) consultas odontológicas;
• 260 (duzentas e sessenta) consultas psicoterápicas;
• 195 (cento e noventa e cinco) consultas com fonoaudiólogos; 
• Fornecimento de 40.150 refeições;
• Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário;
• As crianças frequentam escola da Rede Pública Municipal e Estadual;
• 01 está fazendo curso de auxiliar de cozinha no SENAC;
• 01 faz curso de patchwork;
• 03 adolescentes frequentam academia de ginástica no bairro;
• 02 fazem aula de natação;
• 01 faz curso de desenho na escola do Daniel Azulay;
• 04 fazem aula de dança;
• Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos, 01 supervisor, 01 educador de nível superior, 01 pedagogo, 01 assistente social, 06 auxiliares de enfermagem, 04 educadores/cuidadores, 02 cozinheiras, 01 auxiliar de cozinha, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças, 01 motorista;
• A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários na área de saúde composta por: 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 neurologista, 01 otorrino, 01 dermatologista, 01 oftalmologista, 02 dentistas, 01 psicólogo na instituição, 10 psicólogos em atendimento individual em seus consultórios, 02 psicopedagogos, 05 fonoaudiólogos, 02 fisioterapeutas, 01 nutricionista.
• Como a maioria dos menores na Casa de Apoio é pré-adolescente e adolescentes estamos optando por atividades nos finais de semana junto com amigos de escola, além de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. Alguns já tem namorado(a).
• Atividades culturais dentro e fora da instituição;
• Palestras nas escolas da rede pública municipal e estadual, onde as crianças estudam, visando diminuir o preconceito e melhora na convivência social;
• Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem.

Todo atendimento feito na Casa de Apoio Pediátrico é totalmente GRATUITO.



Apoio

Laboratório Bronstein
Desentupidora Mandalla
Ópticas Paciello
Água Mineral Serra dos Órgãos
Familien Sørensen / Tonholts Stiftelse

Coordenação: Christina Moreira da Costa

29/07/2015, 19:12 h

Assistência Social - 2007

Principais conquistas:

1.Número de pacientes atendidos – No ano de 2007 atendemos socialmente 138 pacientes visando adesão ao tratamento e doação de cestas básica. 
2.Cestas básicas – Foram doadas 1.339 (um mil trezentos e trinta e nove) cestas básicas. Foram doados preservativos em quantidade diferenciada por pacientes, de acordo com solicitação dos mesmos. 
3.Resultados – Dos 138 pacientes atendidos apenas um foi a óbito. Houve manutenção na condição nutricional dos pacientes em acompanhamento.

Após pesquisa de avaliação realizada com os pacientes estamos tentando melhorar o atendimento aos pacientes na tentativa de trazer um melhor atendimento e buscando suprir as necessidades dos mesmos. Na pesquisa, verificamos que uma das principais solicitações é a recolocação no mercado de trabalho. Até o presente momento não conseguimos um meio de atender a demanda. É importante ressaltar que as crianças da Casa de Apoio Pediátrico que são reintegradas às famílias são encaminhadas para o projeto, que é uma forma de continuidade do vínculo além de possibilitar um monitoramento no tratamento e na parte educacional.


A continuidade no acompanhamento dos pacientes atendidos ambulatorialmente nos hospitais da Lagoa e São Sebastião mostra uma melhora no comprometimento dos pacientes com o tratamento médico, refletido na diminuição do número de infecções oportunistas e internações hospitalares. Dos 138 pacientes atendidos apenas 1 foi a óbito. 
O trabalho implantado no Hospital da Lagoa e no Instituto Estadual de Infectologia São Sebastião, mediante perfil dos pacientes de extrema carência sócio-econômica e considerando o longo tempo de diagnóstico, apresentou resultados bastante satisfatório, se levarmos em conta o número de óbitos e o número de permanência no projeto. A diminuição do número de internações hospitalares gera também diminuição de custo do tratamento para os pacientes favorecidos pelo programa. 
Atendimento GRATUITO  

29/07/2015, 19:37 h

Assistência Social - 2008

Principais Conquistas

Número de pacientes atendidos – No ano de 2008 atendemos socialmente 120 pacientes visando adesão ao tratamento e doação de cestas básica.

Cestas Básicas

Foram doadas 1.180 (um mil cento e oitenta) cestas básicas. Foram doados preservativos em quantidade diferenciada por pacientes, de acordo com solicitação dos mesmos.

Resultados

Dos 120 pacientes atendidos. Houve manutenção na condição nutricional dos pacientes em acompanhamento.





Após pesquisa de avaliação realizada com os pacientes estamos tentando melhorar o atendimento aos pacientes na tentativa de trazer um melhor atendimento e buscando suprir as necessidades dos mesmos. Na pesquisa, verificamos que uma das principais solicitações é a recolocação no mercado de trabalho. Até o presente momento não conseguimos um meio de atender a demanda. É importante ressaltar que as crianças da Casa de Apoio Pediátrico que são reintegradas às famílias são encaminhadas para o projeto, que é uma forma de continuidade do vínculo além de possibilitar um monitoramento no tratamento e na parte educacional.
A continuidade no acompanhamento dos pacientes atendidos ambulatorialmente nos hospitais da Lagoa e São Sebastião mostra uma melhora no comprometimento dos pacientes com o tratamento médico, refletido na diminuição do número de infecções oportunistas e internações hospitalares. 
O trabalho implantado no Hospital da Lagoa e no Instituto Estadual de Infectologia São Sebastião, mediante perfil dos pacientes de extrema carência sócio-econômica e considerando o longo tempo de diagnóstico, apresentou resultados bastante satisfatório, se levarmos em conta o número de óbitos e o número de permanência no projeto. A diminuição do número de internações hospitalares gera também diminuição de custo do tratamento para os pacientes favorecidos pelo programa. 
Atendimento GRATUITO 

29/07/2015, 19:37 h