• Casa de Apoio - 2011

    Um novo perfil

    A transmissão do HIV mãe-filho que estava controlada começou a apresentar novo perfil, ainda que não apareça nos Boletins Epidemiológicos. Os efeitos do crack começaram a aparecer também nas crianças filhas de mães usuárias de drogas que não fizeram pré-natal e contaminaram seus bebês com o HIV. No ano de 2011 recebemos 5 bebês filhos do crack.



    Principais conquistas

    Novas crianças – em 2011 a Viva Cazuza recebeu 11 crianças, das quais 5 bebês filhas de mães usuárias de crack;
    Reintegração familiar - Um adolescente completou a maioridade em 2011 e optou por deixar a instituição; tivemos também cinco reintegrações familiares;
    Adoção – 4 crianças foram adotadas, todas bebês;
    Saúde – As crianças fazem acompanhamento médico três vezes por semana e sempre que necessário, tendo 100% de adesão ao tratamento.
    Educação – 01 está cursando o último ano do segundo grau profissionalizante na FAETEC, 02 iniciaram o segundo grau em escola da rede pública estadual e fizeram curso profissionalizante na ONG Espetáculo; 04 adolescentes terminaram o ensino fundamental; sendo que 03 fizeram curso paralelo de informática. Todos os demais em idade escolar estão matriculados na rede pública de ensino ou estudam em escola particular com bolsa de estudos.
    Educação – A Viva Cazuza deu prosseguimento ao reforço escolar na instituição feito por pedagoga melhorando consideravelmente o aproveitamento escolar.
    Integração Social – Os adolescentes participaram do Vivendo – Encontro Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids, aqui no Rio de Janeiro visando dar-lhes condições a trabalhar futuramente na luta pelos direitos dos portadores do HIV/Aids.
    Atividades de Lazer – a instituição proporciona ainda atividades culturais e de lazer fora da instituição de acordo com a faixa etária. Teatros, shows, cinema, praia, festas, passeios, pique nique e etc. aos finais de semana e feriados.



    Atividades desenvolvidas

    Até dezembro de 2011 realizou 473 (Quatrocentas e setenta e três) consultas médicas (exclusivamente destinadas ao acompanhamento e controle do HIV), e 40 (quarenta) consultas médicas diversas.
    Realizou 57 (cinquenta e sete) consultas odontológicas.
    150 (cento e cinquenta) consultas psicoterápicas.
    145 (cento e quarenta e cinco) consultas fonoaudiológicas.
    Fornecimento de 47.450 mil refeições.
    Fornecimento de medicação específica para AIDS e medicações em geral sempre que necessário.
    As crianças frequentam escola da Rede Pública Municipal e escola particular através de parceria com fornecimento de bolsa de estudos.
    03 adolescentes frequentam academia de ginástica no bairro com bolsa de estudos;
    01 adolescente ganhou bolsa de estudos para fazer curso de informática da SOS;
    03 adolescentes fizeram curso básico de informática da Faetec unidade Dona Marta;
    01 adolescente fez curso de cabeleireiro na Faetec unidade Dona Marta;
    Equipe contratada pela Viva Cazuza formada por: 01 gerente e coordenador de projetos; 01 supervisor; 01 assistente de supervisão; 01 pedagogo; 01 assistente social; 06 auxiliares de enfermagem, 04 educadoras/cuidadoras, 02 cozinheiras, 03 serventes de limpeza, 01 servente de lavanderia, 02 seguranças;
    A Viva Cazuza mantém equipe técnica formada por profissionais voluntários composta por 01 médico especialista em AIDS, 01 médico psiquiatra, 01 médico neurologista, 01 médico otorrino, 01 médico dermatologista, 01 médico oftalmologista, 02 dentistas, 10 psicoterapêutas, 05 fono-audiólogos, 02 psico-pedagogos, 02 educadores voltados para área pedagógica, 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista;
    Como a maioria dos menores na Casa de Apoio são pré adolescentes e adolescentes estamos optando por atividades nos finais de semana junto com os amigos de escola, além de passeios em parques, praias, teatros, cinemas, lanchonetes e restaurantes. Alguns já tem namorado(a).
    Atividades culturais dentro e fora da instituição.
    Palestras nas escolas da rede pública municipal e particular, onde as crianças estudam, visando diminuição do preconceito e boa convivência social.
    Acompanhamento social dos familiares das crianças e funcionários da casa. Reuniões visando a orientação e permanência nos serviços de saúde para aqueles que são portadores do vírus do HIV, orientação nos casos de passes em condução por invalidez, aposentadoria e fornecimento de medicação quando necessário e quando está em falta nos postos de saúde e doação de cestas básicas para aqueles que necessitarem.

    Todo atendimento feito na Casa de Apoio Pediátrico é totalmente GRATUITO.



    Apoios

    Laboratório Bronstein
    A Prata da Casa
    Ópticas Paciello
    Água Mineral Serra dos Órgãos
    Copyhouse Gráfica Rápida

    Coordenação: Christina Moreira da Costa


    << voltar