• Demetre Daskalakis, o defensor da PrEP em Nova York

    Ele chegou à Curitiba para falar sobre como as campanhas de prevenção em HIV/aids tem funcionado sob seu comando. Antes mesmo de a conferência começar, pessoas o rodeavam para tirar dúvidas, ou até mesmo fazer fotos com uma das principais estrelas do Congresso de Prevenção HIV/aids. Não é para menos. Demetre Daskalakis é ícone internacional no trabalho de combate ao HIV. Ele mesmo se autodenomina como “guerreiro da saúde gay” e ficou conhecido, por fazer campanhas de prevenção em boates e saunas direcionadas aos homossexuais.

    Demetre é vice-comissário no Departamento de Saúde e Higiene Mental da Cidade de Nova York e é referência em campanhas de saúde bem sucedidas principalmente em relação à implementação da Profilaxia pré-Exposição, a PrEP. Mas, antes disso, sua carreira como médico é que trouxe embasamento para se tornar uma referência internacional na luta contra aids.

    Ele se envolveu com o tema ainda quando estudante na Universidade de Columbia e continuou engajado durante o período de residência em Harvard. No ano de 2006, fundou o Projeto de Saúde Sexual Masculina, que entrou em boates e saunas gays de toda Nova York para realizar testagem de ISTs e, se necessário, encaminhar esses homens para os cuidados necessários. 

    Em 2013, um surto de meningite em Nova York fez com que Demetre se dedicasse de forma intensiva a uma campanha de vacinação para homens gays que tinham risco de infecção. Mais uma vez, ele passou noites e madrugadas nas boates e saunas da cidade.

    Quando esse trabalho de vacinação era feito pelos funcionários de saúde uniformizados, havia desconfiança e muitas vezes esses profissionais eram recebidos como “pessoas suspeitas” ou com hostilidade. Então, Demetre se vestia “como as pessoas da balada” e conversava de igual para igual, explicava qual era seu trabalho e aplicava as vacinas. A campanha de atingiu pelo menos 16 mil pessoas e teve êxito em conter o surto que alguns temiam, inclusive, que se tornasse uma próxima epidemia de aids. 

    Hoje, sua principal motivação é tornar a PrEP mais disponível e mais conhecida de todos.  “O mais importante é conseguir alcançar grupos marginalizados como jovens homens negros e latinos que fazem sexo com homens, mas que, por razões sociais ou culturais e medo, não se identificam como gays ou bissexuais”, explica.

    Com o trabalho de Demetre nessa, que é uma das maiores agências do departamento de saúde, pela primeira vez, desde os primeiros dias da epidemia em 1983, o HIV caiu da lista das principais 10 causas de morte na cidade de Nova York em 2012.  O número de novas infecções de HIV, na cidade de Nova York, caiu em mais de 33% desde 2003.

    Demetre diz que as campanhas precisam continuar, também fazendo uso das mídias sociais “para alcançarmos mais os jovens gays e bissexuais que encontram seus parceiros através da internet, fazendo com que eles também tenho acesso à PrEP”.

    Empolgado com as próximas campanhas, Demetre diz, com seu jeito acelerado e sorridente, que a PrEP passa a ser uma realidade na prevenção de outras ISTs. “A nossa maior dificuldade está em encontrar as pessoas que estão infectadas, mas ainda não sabem. No entanto, com a PrEP estamos muito confiantes que conseguiremos melhorar neste ponto”. Ele ainda complementa, “é por isso que prevenção é tratamento. E é por que isso esse é meu dharma, meu propósito”. 

     

    Dica de entrevista:

    Departamento de Saúde e Higiene Mental da Cidade de Nova York:  347-396-7728

    www.nyc.gov/health

     

    Jéssica Paula (jessica@agenciaaids.com.br) 

    03/10/2017, 09:05 h

    Os comentários estão bloqueados para esta postagem.

    << voltar